quarta-feira, 17 de junho de 2009

Tristeza por favor vai embora...

Todos os dias enquanto espero o onibus para vir trabalhar, fico namorando um gato petibranco daqueles bem grandões numa casa em frente ao ponto.
Hoje ao chegar para pegar o onibus encontro caído ao meio fio, esse Anjinho já transformado em estrelinha. De algum modo ele escapou a vigilância e acabou encontrando seu fim sob as rodas de um carro.
Quando o vi, ainda coloquei minha mão sobre o corpinho na esperança de uma centelha de calor que fosse...
Triste foi tocar a campainha da casa e perguntar se o Anjo era deles. A Senhorinha que me atendeu quando viu se debulhou em lágrimas e pediu-me que o recolhesse para ela uma vez que o andador a impossibilitava de atravessar a rua para faze-lo.
O sentimento que ficou foi de total impotência e pesar por uma vida perdida.
Desculpem o desabafo, estou triste hoje.

18 comentários:

Gisa disse...

Que triste Ana! Fiquei pensando na senhorinha, ele devia ser um filho muito amado... Bjs

Andrea Sassaki disse...

Ai Aninha! Que triste...também fiquei pensando na senhorinha...ele agora tá no céu, espero! Um beijo.

Nana disse...

Ai Ana que tristeza!!!!!!!!!!!!
Coitada da dona deste gatinho!!!
Me dói só de pensar...
Bjs

Tânia (Marienkäfer Laden) disse...

Nossa, estou sem palavras!
Espero que em breve vc esteja mais tranquila, mas não é fácil mesmo... com certeza ele está no céu dos gatinhos.
Bjos!

Elaine disse...

Olá!
Ah, Ana, que coisa triste...
Mas parece que você estava no lugar certo, pois se fosse um outro tipo de pessoa talvez nem desse bola em avisar ou ainda risse da tristeza da dona do gatinho.
Ainda assim, bom dia, meu bem.

Luciana disse...

ai que dor... muito triste.
como disse a Elaine, vc estava no lugar certo... quantos passaram por ali sem se preocupar com nada?
A dona do gatinho talvez nem ficasse sabendo do ocorrido...
Tenha um bom dia com o meu carinho.
Bjsss.

Lauesg disse...

Minha esposa diria a mesma coisa que a Tânia: "foi pro céu dos gatinhos". Uma notícia dessas deixa qualquer um triste mesmo.

Quando tiver um tempinho dá uma olhadinha no TG. Tem uma entrevista bacana com o cartunista Laerte.

Grande abraço!
Lauesg

www.tudogato.com

Gatophenia disse...

Ana, sua tristeza tem motivo....Eu confesso que tenho um problema sério em ver essas cenas. Sei que é errado e minha mãe sempre brigou comigo por isso, mas eu fico tão arrasada que não consigo nem chegar perto.
Que São Francisco o receba com uma festa!
Bjs

Milene disse...

Que triste!! É de arrasar mesmo! Isso dá um aperto no coração que nem dá pra explicar...
Bjinhos

Prosopopéias Cintilantes disse...

Muito triste Ana!
Imagino a sua tristeza e a da dona do gatinho.
Por isso que a gente tem que tomar muito cuidado, uma distração e pode não dar mais tempo!
Espero que você melhore.
Beijos,
Stela

Claudinha disse...

OI ANA!
affff, se eu chorei só vendo as fotos do gatinho do AUG, imagina vc que viu pessoalmente o outro pobrezinho....

GATO FACEIRO disse...

que horror!!!pobre bichinho
eu tb fiz amizade com um gato perto do hospital que trabalho...sempre ele vinha para eu acariciar.....se eu passava e não o via...ele miava e me chamava!mas faz tempo que eu não o vejo...receio que tenha tido o mesmo fim...

Gata Lili disse...

Nossa, que situação hein? É muito doído ver um gatinho assim...
Mas vim te trazer alegrias tb. Hoje vim te convidar para me ver dançando merengue com mamis na cozinha! Vai lá no blogg...lambidas no nariz.

Multiolhares disse...

Dedica mo-nos aos bichinhos para nós deixam de ser animais fazem parte da família, quando os perdemos doí muito, tenho duas gatinhas uma já tem uns 13 anos, nem quero pensar quando se for embora.

Namstê

Gatinhos de toda parte disse...

:'(

Madame Mim disse...

Olá.
Cheguei aqui pelo blog da Elaine Gapareto.
Que aperto no coração...quem ama bicho sabe como é triste perder esses amiguinhos.
...mas eu acredito que existe um céu dos bichos, só deles.
beijos

Nina disse...

OOhhh que dó! Sempre que morre um bichinho desses o coracao de fato aperta.

Entao vc é uma apaixonada por gatinhos?? Nossa, eu nao gostava, me dava arrepios qd eles passavam por debaixo das minhas pernas, até um dia que conheci um que me conquistou o coracao totalmente. Eu estava no meio da mata, e o onca, esse era o nome do gatinho, foi chegando de mansinho, de mansinho, parecia saber que eu nao o curtia. Foi com tanta delicadeza ao que queria, que no fim, na hora da partida, meu coracao doeu por ter de deixa-lo :)
gatos sao mesmo incriveis!!

ahh te vi na Elaine.

disse...

li esse post há um tempão e só agora vou conseguir comentar. que triste, né? :(

é por essas e outras que a gente tem se preocupar muito com a segurança dos nossos bichos.