quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

AnjoGatos

Hoje estava olhando o site do Adote, e vi que atualmente a maioria dos gatos que estam a espera de um lar são pretos, petibrancos e escaminhas.
Fiquei olhando para algumas fotos e me apaixonei pelo Zen um gato preto de olhos verdes lindíssimos, depois vi a Ariel uma escaminha lindona, dona do mais doce olhar que já vi, ou então o Tenório com aquele focinho rosa fofo e tantos outros que se pudesse adotaria com o maior prazer.
Então me pergunto por que as pessoas não enxergam nessas carinhas a alma de anjo que vejo?
Ter como companheiro um Anjogato é uma lição de vida.
Ser capaz de abrir o coração e aprender com eles é sem dúvida um exercício que pouco se dispõem a fazer.
Intitulo-me Aprendiz de Anjo, não porque quero ser um anjo ao pé da letra, mas sim porque não me lembro da minha vida sem ter um companheiro Anjogato por perto.
Aprendi com eles a respeitar a individualidade, os espaços, a ouvir e estar presente sempre que percebo nuvens tensas no ar. Descobri que o silêncio pode ser muitas vezes mais eloqüente que uma interminável conversa, que respeito só nos é dado quando merecedores.
Aprendi que o amor verdadeiro é puro e incondicional, não faz joguinhos nem aceita ser joguete, que confiança existe.
Enfim, sempre amei meus Anjos e nem sempre fui compreendida por isso, mas no fundo o que importa é que sei o quanto sou amada e no que depender de mim, a cor, raça, idade e sexo jamais pesarão na minha capacidade de amar.

2 comentários:

milene widholzer disse...

Ana!
Eu adoro a maneira como vc se refere aos gatinhos - Anjogatos!
É a palavra que traduziu de forma precisa como vejo minha Mina, o Johnnyzinho e minha linda Soninho que é estrelinha há quase 8 anos.
Cada um desses anjos entrou em minha vida em um momento especial: Johnnyzinho veio e revigorou a saúde de meus pais,que já tem mais de 70 anos, e o amam como a um filhinho; Soninho entrou em minha vida pra me ensinar a arte da "paciência" e da tranquilidade tão comum para os gatos, e minha Mina, com seu jeitinho doce e frágil, ajudou-nos a cicatrizar a tristeza pela partida de Soninho e se tornou uma guardiã dedicada e companhia fiel de minha filha Marina.
Acho que só mesmo alguém muito insensível para não vislumbrar um anjinho por trás daquele bigodes todos!!

Beijos pra você e seus lindos tesouros!

milene widholzer disse...

Ana, muito incrível... depois que comentei aqui no teu post, estava navegando e dei de cara com esse texto que tem tudo a ver com o assunto do post. Fiquei arrepiada. Olha só:

" Alguns anjos não possuem asas,
Possuem quatro patas, um corpo peludo,
Nariz de bolinha, orelhas de atenção,
Olhar de aflição e carência.
Apesar dessa aparência,
São tão anjos quanto os outros (aqueles com asas)
E se dedicam aos seus humanos tanto quanto
Qualquer anjo costuma dedicar-se.
Que bom seria se todos os humanos
Pudessem ver a humanidade perfeita de um animal !"

Muito legal, né?
Algumas pessoas poderiam dizer se tratar de coincidência, mas em se tratando de anjos, não sei não... quem sabe não foi um anjo "com asas" que colocou esse texto diante de mim só para confirmar tudo?!?
Beijinhos